Author Topic: GT Series 2019: Comissão de Análise de Incidentes (CAI)  (Read 2257 times)

0 Members and 1 Guest are viewing this topic.

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 432
  • Liked: 20
    • View Profile

Neste tópico serão colocadas as decisões da Comissão de Análise de Incidentes (CAI) referentes aos protestos enviados pelos pilotos participantes no campeonato, bem como será colocada a análise do CAI da volta 1 de todas as corridas. Toda a informação relativa ao CAI e às penalizações se encontra patente nas Regras Gerais: Campeonatos de Sim-Racing, nomeadamente no Pontos G e no Ponto H.

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 432
  • Liked: 20
    • View Profile
Re: GT Series 2019: Comissão de Análise de Incidentes (CAI)
« Reply #1 on: October 01, 2019, 11: 02 »
Relatório do CAI - Prova 1 - GTS Round of Portugal @Portimão


Volta de formação, entre as curvas 13 e 14 •
O piloto Pedro Silva, durante a volta de formação, na reta anterior à ultima  curva, embate de forma ligeira na traseira do piloto Vítor Costa. O CAI considera o piloto Pedro Silva responsável pelo incidente, sendo que não são tolerados quaisquer toques entre pilotos durante as voltas de formação, que deve sempre ser efetuada com cuidado e respeitando as distancias para os adversários.
Decisão do CAI: Advertência para o piloto Pedro Silva


Volta 1, entre as curvas 5 e 6 •
Após sair da curva 5 o piloto Mário Peixoto segue atras do piloto Nuno Castro, com distância de aproximadamente 1 carro entre ambos e vão mantendo essa distância enquanto aceleram. De um momento para o outro, o carro do piloto Nuno Castro desaparece da frente do piloto Mário Peixoto, sendo que reaparece com toda a frente do seu carro dentro da traseira do carro do piloto Mário Peixoto, causando despiste e danos em ambos.
Após análise verificou-se que o incidente foi causado por lag (aparentemente do carro do piloto Nuno Castro) pelo que não haverá aplicação de qualquer sanção.
Decisão do CAI: Não aplicável


Volta 2 •
O piloto Tiago Monteiro, após ter perdido a ligação ao servidor durante a volta de formação, reentrou no mesmo e começou a utilizar o chat do simulador, enviando assim mensagens a todos os pilotos de forma constante numa altura em que já estava a decorrer a 2ª volta da corrida. De acordo com o estabelecido no ponto H.11 das Regras Gerais, o piloto Tiago Monteiro é sancionado com uma advertência pelo uso constante do chat durante a sessão de Corrida e fica assim também advertido de que uma futura reincidência levará a uma penalização mais agravada.
Decisão do CAI: Advertência para o piloto Tiago Monteiro

Aproveita o CAI esta situação para informar todos os pilotos que apenas mensagens estritamente necessárias podem ser colocadas no chat durante Qualificação e Corrida e, ainda assim, em tons moderados e respeitadores. Para contactar o Diretor de Prova, é preferível utilizar o TeamSpeak de forma a não perturbar os restantes pilotos. No futuro, o uso do chat desta forma durante qualquer sessão de Qualificação ou Corrida levará a uma penalização mais pesada.



Análise da via das boxe

O seguinte piloto vai ser punido com uma advertência por não ter respeitado as linhas de entrada/saída da boxe:

Volta 1 (Saída) • Nélson Lira

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 432
  • Liked: 20
    • View Profile
Re: GT Series 2019: Comissão de Análise de Incidentes (CAI)
« Reply #2 on: October 08, 2019, 11: 24 »
Relatório do CAI - Prova 2 - GTS Round of Great Britain @Silverstone


Volta 1, curva 1 •
Ao efetuar a curva 1 seguem próximos vários pilotos, entre os quais o piloto Nuno Leite Castro e o piloto Nuno Ricardo. Ao efetuarem a curva, ocorre um toque entre ambos os pilotos mencionados. O CAI analisou várias vezes a situação e concluiu que ambos os pilotos mencionados apresentam alguma responsabilidade no ocorrido. O piloto Nuno Ricardo não se encontra lado a lado quando inicia a travagem para a curva e coloca a sua frente entre os carros que iam à sua frente. O piloto Nuno Leite Castro entra para curva ignorando ou sem noção dos carros que o rodeavam. O CAI considera que a forma como ambos os pilotos abordaram a curva causou a situação, que acabou por prejudicar o piloto Carlos Barros, que vinha mais atras e acabou por ser empurrado para fora da pista e perde várias posições (4).
Decisão do CAI: 15 kg de lastro para o piloto Nuno Ricardo na próxima prova em que participar e advertência para o piloto Nuno Leite Castro


Volta 1, curva 7 •
• Ao efetuar a curva 7 seguem próximos os pilotos Ricardo Marcelino e Vasco Lemos. O piloto Ricardo Marcelino inicia a curva numa linha mais afastada do ápex, sendo que o piloto Vasco Lemos segue no interior da curva, lado a lado com o piloto Ricardo Marcelino. Apos passar o ápex, o piloto Ricardo Marcelino começa a deslocar-se para o interior da curva e acaba por tocar no piloto Vasco Lemos, que manteve sempre a mesma linha interior. Como consequência, o piloto Vasco Lemos perde o controlo do carro e acaba por sair de pista momentaneamente e perde várias posições (8). O CAI considera o piloto Ricardo Marcelino responsável pelo incidente, dado que é a sua mudança de linha para o interior da pista que causa a situação e respetivas consequências.
Decisão do CAI: 15 Kg de lastro para o piloto Ricardo Marcelino na próxima prova em que participar
Nota: verificaram-se alguns toques entre os pilotos Fernando Silva, Nuno Leite Castro e Ruben Rocha, que seguiam imediatamente atras dos pilotos Ricardo Marcelino e Vasco Lemos. Estes toques foram considerados incidentes de corrida, visto que o primeiro toque (Fernando Silva com Nuno Leite Castro) ocorre devido ao incidente analisado entre os pilotos Ricardo Marcelino e Vasco Lemos.

Quote
Piloto que protesta: Luis Carreiro
Equipa: KFC
Piloto protestado: Pedro Lopes
Equipa: Gaming Events
Momento do replay: Position 1332

Quote
Piloto que protesta: Pedro Lopes
Equipa: Gaming Events
Piloto protestado: Luis Carreiro
Equipa: KFC
Momento do replay: Position 1334

Volta 9, curvas 6 e 7 •
Ao efetuar a curva 6 seguem próximos vários pilotos, entre os quais o piloto Luis Carreiro e Pedro Lopes. Na travagem para a curva, o piloto Pedro Lopes dá um toque na traseira do piloto Luis Carreiro. Como consequência, o piloto Luis Carreiro perde ligeiramente o controlo do carro e é forçado a abrir, perdendo a posição para o piloto Pedro Lopes. Ao efetuar a curva 7, o piloto Luis Carreiro entra em subviragem e acaba por ir embater no piloto Pedro Lopes, acabando por empurrar este para fora da pista, sendo que o piloto Pedro Lopes acaba por perder a posição para o piloto Luis Carreiro e para 3 outros adversários.
O CAI considera o piloto Pedro Lopes responsável pelo primeiro incidente, dado que é o seu toque na traseira do adversário que causa a situação.  O CAI considera o piloto Luis Carreiro responsável pelo segundo incidente, dado que é o seu toque na lateral do adversário que causa a situação e respetivas consequências.
Decisão do CAI: 15 kg de lastro para o piloto Pedro Lopes na próxima prova em que participar e 30 kg de lastro para o piloto Luis Carreiro na próxima prova em que participar

Quote
Piloto que protesta: Pedro Lopes
Equipa: Gaming Events
Piloto protestado: Carlos Barros
Equipa: Playteam
Momento do replay: Position 2799

Volta 21, via das boxes •
Ao efetuar a paragem nas boxes, o piloto Carlos Barros embate no carro do piloto Pedro Lopes, que estava parado na sua boxe a efetuar a troca de pneus/acrescentar combustível. O CAI considera o piloto Carlos Barros responsável pelo incidente, dado que embate num adversário que estava parado, na via das boxes, causando danos significativos no carro do piloto Pedro Lopes.
Decisão do CAI: Drive-Through para o piloto Carlos Barros na próxima prova em que participar

Quote
Piloto que protesta: Pedro Lopes
Equipa: Gaming Events
Piloto protestado: Luís Lobo
Equipa: Red Stripe
Momento do replay: Position 3020

Volta 22, entre as curvas 9 e 10 •
O CAI não detetou qualquer situação passível de analise.
Decisão do CAI: Não aplicável

Quote
Piloto que protesta: Pedro Lopes
Equipa: Gaming Events
Piloto protestado: Tiago Lapa
Equipa: Carbor8
Momento do replay: Position 5527

Volta 42, curva 1 •
O CAI não detetou qualquer situação passível de analise.
Decisão do CAI: Não aplicável

Quote
Piloto que protesta: Pedro Lopes
Equipa: Gaming Events
Piloto protestado: Tiago Lapa
Equipa: Carbor8
Momento do replay: Position 5666

Volta 43, curva 4 •
Ao efetuar a curva 4 seguem próximos os pilotos, entre os quais o piloto Pedro Lopes e Tiago Lapa. Na travagem para a curva, o piloto Tiago Lapa dá um toque na lateral do piloto Pedro Lopes. Como consequência, o piloto Pedro Lopes perde ligeiramente o controlo do carro e é forçado a abrir, perdendo a posição para o piloto Tiago Lapa. O CAI considera o piloto Tiago Lapa responsável pelo incidente, dado que é o seu toque na lateral do adversário que causa a situação e respetivas consequências.
Decisão do CAI: 15 kg de lastro para o piloto Tiago Lapa na próxima prova em que participar



Análise da via das boxe

Os seguintes piloto vão ser punidos com uma advertência por não terem respeitado as linhas de entrada/saída da boxe:

Volta 21 (Saída) • Carlos Barros
Volta 27 (Saída) • Carlos Rodrigues
Volta 28 (Saída) • Carlos Rodrigues
Volta 29 (Saída) • Carlos Rodrigues




Penalizações de acumulação

O piloto Carlos Rodrigues vai ser punido com um Drive-Through na próxima prova em que participar por ter acumulado três advertências ao longo do campeonato.
« Last Edit: October 08, 2019, 18: 02 by Comissão de Análise de Incidentes »

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 432
  • Liked: 20
    • View Profile
Re: GT Series 2019: Comissão de Análise de Incidentes (CAI)
« Reply #3 on: October 15, 2019, 00: 14 »
Relatório do CAI - Prova 3 - GTS Round of Czech Republic @Most


Volta 1, reta da meta •
Nos instantes depois da bandeira verde para o arranque e logo a seguir à linha de meta, o piloto Nelson Lira tenta uma ultrapassagem a vários adversários. Ainda durante a manobra de ultrapassagem e com o carro do piloto Carlos Santos mesmo ao seu lado, o piloto Nelson Lira começa a deslocar-se para o interior da pista e toca no piloto Carlos Santos. Como consequência, o carro do piloto Nelson Lira atravessa-se na pista e acaba por causar um acidente que envolveu diretamente 3 carros, bem como vários outros acidentes com os pilotos que vinham atrás, sendo que desses acidentes resultaram muitos danos e posições perdidas para vários pilotos. O CAI considera o piloto Nelson Lira responsável pelo incidente, dado que é a sua mudança de trajetória para o interior da pista que causa a situação e respetivas consequências.
Decisão do CAI: Drive-Through e 50 kg de lastro para o piloto Nelson Lira na próxima corrida em que participar
NOTA: Os restantes acidentes resultantes do incidente inicial, foram considerados incidentes de corrida, dada a enorme confusão que se gerou.

Volta 1, curva 12 •
Na aproximação à curva 12, o piloto Daniel Inácio, que tinha sofrido danos resultantes dos incidentes do primeiro incidente mencionado no relatório, está a ser ultrapassado pelo piloto Paulo Sousa. Nesse momento, o piloto Daniel Inácio acaba por virar para a esquerda e embate lateralmente contra o piloto Paulo Sousa, causando o despiste a este. O CAI considera o piloto Daniel Inácio responsável pelo incidente, dado que tinha danos consideráveis no carro mas tentou continuar com o mesmo ritmo dos adversários, acabando por perder o controlo do carro com uma simples travagem. O CAI considera também que o piloto Daniel Inácio já tinha noção do estado do carro dado que fez vairas curvas anteriores com dificuldade e deveria ter tido uma abordagem muito mais cuidadosa ao circular perto dos adversários.
Decisão do CAI: Drive-Through para o piloto Daniel Inácio na próxima prova em que participar

Volta 1, curva 12 •
  Na aproximação à curva 13, o piloto Nuno Leite Castro, que tinha sofrido danos resultantes dos incidentes do primeiro incidente mencionado no relatório, está a ser ultrapassado pelo piloto Carlos Miranda. Nesse momento, o piloto Nuno Leite Castro acaba por perder o controlo do carro e sai ligeiramente de pista, acabando por fazer um pião e reentra em pista com o carro descontrolado, acabando por embater no piloto Carlos Miranda, causando um despiste a este. O CAI considera o piloto Nuno Leite Castro responsável pelo incidente, dado que tinha danos consideráveis no carro mas tentou continuar com o mesmo ritmo dos adversários, acabando por perder o controlo do carro com uma simples travagem. O CAI considera também que o piloto Nuno Leite Castro já tinha noção do estado do carro dado que fez várias curvas anteriores com dificuldade e deveria ter tido uma abordagem muito mais cuidadosa ao circular perto dos adversários. A penalização irá ser atenuada tendo em conta que no momento do embate o piloto Nuno Leite Castro já tinha perdido totalmente o controlo do carro.
Decisão do CAI: 30kg lastro na proxima prova em que participar para o piloto Nuno Leite Castro

Volta 1, curva 17 •
  Ao efetuarem a curva 17 seguem muito próximos os pilotos Pedro Silva e Carlos Santos. Na saída da curva, o piloto Carlos Santos dá um ligeiro toque na lateral traseira do piloto Pedro Silva, sendo que o piloto Carlos Santos acaba por sair de pista. O CAI considera o piloto Carlos Santos responsável pelo incidente, dado que é o seu toque na lateral traseira do adversário que causa a situação. Não irá ser aplicada penalização visto que o piloto responsável foi o único prejudicado com a situação.
Decisão do CAI: Incidente de corrida

Quote
Piloto que protesta: Luís Lobo
Equipa: RedStripe Racing
Piloto protestado: Vítor Costa
Equipa: TMM
Momento do replay: 1031

Volta 9, curva 2 •
O CAI verificou que o piloto que apresenta protesto não esteve envolvido no momento reportado.
Decisão do CAI: Não aplicável

Quote
Piloto que protesta: Luís Lobo
Equipa: RedStripe Racing
Piloto protestado: Vítor Costa
Equipa: TMM
Momento do replay: 1042

Volta 9, curva 3 •
Ao efetuar a curva 3, o piloto Vítor Costa abre ligeiramente a sua trajetória e acaba por tocar no piloto Luís Lobo. Como consequência, o piloto Vítor Costa perde o controlo do carro e acaba por embater uma segunda vez no piloto Luís Lobo, causando o despiste a ambos. O CAI considera o piloto Vítor Costa responsável pelo incidente, visto que é a sua manobra de alargar a trajetória com o adversário ao seu lado que causa toda a situação e respetivas consequências.
Decisão do CAI: Drive-Through para o piloto Vítor Costa na próxima prova em que participar

Quote
Piloto que protesta: Luís Lobo
Equipa: RedStripe Racing
Piloto protestado: Nuno Leite Castro
Equipa: PM4 Racing GT
Momento do replay: 2760

Volta 25 do piloto Luís Lobo, curva 20 •
Ao aproximar-se da curva 20, o piloto Luís Lobo tem bandeira azul dada a aproximação do piloto Nuno Leite Castro. Nesse momento, o piloto Luís Lobo abranda coloca-se junto à linha limite da pista, em cima do corretor, tentando dar espaço para a dobragem. Ao efetuar a dobragem e apesar de o adversário ter dado espaço e ter abrandado, o piloto Nuno Leite Castro mesmo assim embate lateralmente no piloto Luís Lobo, causando a saída de pista a este. O CAI considera o piloto Nuno Leite Castro responsável pelo incidente, dado que tinha muito espaço no interior da pista para fazer a dobragem de forma segura.
Decisão do CAI: 15kg lastro na proxima prova em que participar para o piloto Nuno Leite Castro.





Análise da via das boxe

Os seguintes pilotos vão ser punidos com uma advertência por não terem respeitado as linhas de entrada/saída da boxe:

Volta 1 (Entrada) • José Almeida
Volta 1 (Entrada) • Paulo Sousa
Volta 1 (Entrada) • Daniel Inácio
Volta 3 (Entrada) • José Almeida
Volta 4 (Entrada) • Domingos Vaz
Volta 22 (Entrada) • Hugo Araújo
Volta 22 (Entrada) • Paulo Sousa
« Last Edit: October 15, 2019, 00: 52 by Comissão de Análise de Incidentes »

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 432
  • Liked: 20
    • View Profile
Re: GT Series 2019: Comissão de Análise de Incidentes (CAI)
« Reply #4 on: October 22, 2019, 00: 01 »
Relatório do CAI - Prova 4 - GTS Round of Belgium @Spa-Francorchamps


Volta de formação, reta entre a curva 1 e curva 2 •
Na reta entre curva 1 e curva 2 (descida para eau rouge), o piloto Ruben Rocha dá um toque na traseira do piloto Sandro Simões, embora sem consequências para ambos os pilotos. O CAI considera o piloto Ruben Rocha responsável pelo incidente.
Decisão do CAI: Advertência para o piloto Rúben Rocha

Quote
Piloto que protesta: Nuno Leite Castro
Piloto protestado: Mário Peixoto
Volta de formação - descida para Eau Rouge

Volta de formação, reta entre a curva 1 e curva 2 •
O piloto Nuno Leite Castro sai de pista durante a volta de formação. De acordo com as regras (ponto F - Regras especificas: corrida) Se um piloto se despistar durante a volta de formação, é obrigado a manter a posição com que regressa à pista, estando impedido de recuperar qualquer posição perdida. Contudo, neste caso, o simulador obriga a que a posição tenha sido devolvida, algo que o piloto Mário Peixoto fez ainda nessa reta. Entretanto esta situação mostrou que as regras possuem um pequeno lapso que já foi retificado.
Decisão do CAI: Não aplicável


Volta 1, curva 1 •
Na travagem para a curva 1, vão lado a lado os pilotos Luís Lobo e Tiago Monteiro. O piloto Luís Lobo muda de direção durante a travagem e acaba por embater no piloto Tiago Monteiro, que se atrasa ao recuperar o controlo do carro. O CAI considera o piloto Luís Lobo responsável pelo incidente, dado que é a sua mudança de trajetória para o interior da pista, em travagem, que causa a situação e respetivas consequências.
Decisão do CAI: 15kg lastro na proxima prova em que participar para o piloto Luís Lobo

Quote
Piloto que protesta: Nuno Leite Castro
Piloto protestado: Carlos Miranda
Volta 2 - Curva 1

Volta 2, curva 11 •
  Na travagem para a curva 1, o piloto Carlos Miranda muda de direção para o exterior da pista. O piloto Nuno Leite Castro, que seguia atrás a uma distância considerável no momento da travagem, trava mais tarde e acaba por conseguir colocar-se lado a lado no momento em que o piloto Carlos Miranda ainda estava a mudar de direção na travagem, sendo que o piloto Nuno Leite Castro acaba por ter que ir ao exterior da pista para evitar o contato. O CAI considera que quando o piloto Carlos Miranda iniciou a travagem e mudança de direção, o piloto Nuno Leite Castro ainda não estava lado a lado com o piloto Carlos Miranda. O CAI considera no entanto que deveria ter existido mais cuidado do piloto Carlos Miranda ao mudar de direção durante a travagem.
Decisão do CAI: Advertência para o piloto Carlos Miranda

Quote
Piloto que protesta: Hugo Araújo
Equipa: GE
Piloto protestado: Carlos Miranda
Equipa: Carbor8
Momento do replay: Position 5192

Volta 33, curva 15 •
Ao efetuarem a curva 15 seguem muito próximos os pilotos Hugo Araújo e Carlos Miranda. O piloto Carlos Miranda tenta ultrapassar e trava demasiado tarde, acabando por tocar no piloto Hugo Araújo, que perde o controlo do carro e fica atravessado em pista. O CAI considera o piloto Carlos Miranda responsável pelo incidente, causa a perda de controlo ao adversário e com isso ganhou a posição indevidamente.
Decisão do CAI: Drive-Through para o piloto Carlos Miranda na próxima corrida em que participar

Quote
Piloto que protesta: Hugo Araújo
Equipa: GE
Piloto protestado: Sandro Simões
Equipa: Carbor8
Momento do replay: Position 5808

Volta 37, curva 12 •
Ao efetuarem a curva 12 seguem muito próximos os pilotos Hugo Araújo e Sandro Simões. Na saída da curva, o piloto Sandro Simões dá um toque na traseira do piloto Hugo Araújo, que perde o controlo do carro e fica atravessado em pista. O CAI considera o piloto Sandro Simões responsável pelo incidente, causa a perda de controlo ao adversário e com isso ganhou a posição indevidamente. A penalização irá ser atenuada dado que não se tratou de uma manobra de tentativa de ultrapassagem e acontece na última volta da corrida.
Decisão do CAI: 30kg lastro na proxima prova em que participar para o piloto Sandro Simões





Análise da via das boxe

Os seguintes pilotos vão ser punidos com uma advertência por não terem respeitado as linhas de entrada/saída da boxe:

Volta de formação (Saída) • Vítor Costa
Volta 2 (Entrada) • Mário Serafim
Volta 4 (Entrada) • Mário Serafim
Volta 4 (Entrada) • Nuno Inácio
Volta 13 (Entrada) • Carlos Rodrigues
Volta 15 (Entrada) • Paulo Teixeira
Volta 16 (Entrada) • Sandro Simões
Volta 23 (Entrada) • Leandro Mendonça
Volta 23 (Saída) • Luis Carreiro
Volta 24 (Saída) • Hugo Marques

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 432
  • Liked: 20
    • View Profile
Re: GT Series 2019: Comissão de Análise de Incidentes (CAI)
« Reply #5 on: October 29, 2019, 17: 38 »
Relatório do CAI - Prova 5 - GTS Round of the Netherlands @Zandvoort


Volta de formação, reta entre curva 7 e curva 8 •
Na reta entre curva 7 e curva 8, ocorre um toque entre os pilotos Luís Lobo e Domingos Vaz. Após analise à situação e à telemetria do piloto Luís Lobo, verifica-se que o mesmo sofreu de um problema de lag, dado que o carro do piloto Luís Lobo quase fica parado, sendo que não se verifica qualquer travagem deste, que mantem o acelerador constante mesmo quando se vê o carro a abrandar. O CAI considera tendo-se tratado de uma situação originada por lag, não há lugar a qualquer penalização. Os toques que ocorreram atras, fruto da situação descrita, não são também passiveis de qualquer penalização, face ao exposto. Decisão do CAI: Não aplicável.


Volta de formação, curva 15 •
À chegada à curva 15, o piloto Pedro Silva dá um toque na traseira do piloto Fernando Silva, embora sem consequências para ambos os pilotos. O CAI considera o piloto Pedro Silva responsável pelo incidente. Decisão do CAI: Advertência para o piloto Pedro Silva.


Volta 1, curva 1 •
Na travagem para a curva 1, vão muito próximos os pilotos Pedro Mourão e Luís Lobo. O piloto Pedro Mourão faz a travagem para a curva numa linha em constante mudança de direcção para o limite exterior da pista. O piloto Luís Lobo acaba por ter que sair ligeiramente de pista para tentar evitar o contacto com o piloto Pedro Mourão, no entretanto chega a existir um ligeiro contacto entre ambos. Após o contacto, o piloto Luís Lobo consegue colocar-se lado a lado com o piloto Pedro Mourão e os pilotos mencionados acabam por se tocar várias vezes ao efectuarem a curva. Verifica-se a tentativa do piloto Pedro Mourão deixar espaço para o piloto Luís Lobo, mas na saída da curva acabam por estar 4 carros lado a lado (Luís Lobo, Pedro Mourão, Nuno Leite Castro e Nelson Lira), pelo que não havia mais espaço para ceder para o interior da pista, por parte do piloto Pedro Mourão. O piloto Luís Lobo acaba por sair ligeiramente de pista. O CAI considera o piloto Pedro Mourão responsável pelo toque inicial com o piloto Luís Lobo, dado que efectua a travagem em constante mudança de direcção. O CAI considera os restantes toques como incidente de corrida, resultantes do elevado número de carros a efectuarem a curva lado a lado. Decisão do CAI: 15kg de lastro na próxima prova em que participar para o piloto Pedro Mourão.


Volta 1, curva 15 •
Ao efectuar a curva 15, o piloto Ruben Rocha acaba por sair ligeiramente de pista e acaba por perder o controlo do carro, entrando em despiste sozinho. O piloto Ruben Rocha acaba por reentrar em pista, numa altura em que já não tinha qualquer controlo do carro, e acaba por tocar no piloto Carlos Rodrigues, que por sua vez também perde o controlo do carro e vai embater nos pilotos Carlos Barros e David Santos. O CAI considera que toda a situação foi originada pelo despiste inicial do piloto Ruben Rocha. Atendendo a que a reentrada do piloto Ruben Rocha acontece num momento em que já não tinha controlo sobre o carro e que este não tinha intenção de se despistar de propósito, não será aplicada penalização. Decisão do CAI: Incidente de corrida.

Quote
Piloto que protesta: Hugo Araújo
Equipa: GE
Piloto protestado: Nelson Lira
Equipa: Playteam
Momento do replay: Position 2693

Volta 25, curva 12 •
Ao tentar efectuar uma ultrapassagem na curva 12, o piloto Nelson Lira dá um ligeiro Toque no piloto Tiago Monteiro, que perde uma posição ao recuperar o controlo do carro. O piloto Nelson Lira acaba por ficar atravessado em pista. Imediatamente após parar, o piloto Nelson Lira faz marcha atrás, para a linha ideal de corrida, e acaba por embater no piloto Hugo Araújo, causando um despiste a este, alguns danos e perda de 4 posições. O CAI considera o piloto Nelson Lira responsável pelo incidente, quer no toque inicial no piloto Tiago Monteiro, quer no acidente com o piloto Hugo Araújo. Decisão do CAI: Drive-Through e 30 kg de lastro na próxima prova em que participar para o piloto Nelson Lira.



Incidente de Bandeira Vermelha •
O piloto Mário Serafim sai para a pista após o arranque para a volta de formação ter acontecido. Na entrada para a pista, o piloto Ricardo Marcelino, em antecipação, deixa algum espaço ao piloto Mário Serafim, mas como este praticamente parou, o piloto Ricardo Marcelino decidiu voltar à sua posição normal para a formação, onde aconteceu então "susto" ao piloto Ricardo Marcelino que, ao ver o carro do Mário Serafim ao seu lado, virou para a esquerda e embateu no carro do piloto Mário Peixoto, causando-lhe danos. Entretanto, o piloto Mário Serafim procede à tentativa de recuperação do lugar que lhe competia de acordo com a qualificação, navegando por entre os demais pilotos durante a volta de formação, num traçado notoriamente apertado, até obter o seu lugar.
O piloto Mário Serafim encontrava-se no paddock e não na via das boxes, por razões estruturais da pista (pit groups insuficientes). Consequentemente, o piloto, ao sair, não teve possibilidade de ver o semáforo e, portanto, não foi penalizado pelo simulador (como seria normal). O CAI confirmou, via replay, que o semáforo estava efetivamente vermelho nesta altura, o que impediria o piloto de sair numa situação normal.
Após ser enviada uma Mensagem Privada aos pilotos Mário Serafim e Luís Lobo, para prestarem esclarecimentos sobre as indicações que o rFactor 2 transmitiu neste momento, não se obteve resposta do piloto Mário Serafim.
O piloto Luís Lobo afirmou que o simulador lhe indicava para seguir o piloto David Santos. De acordo com a qualificação, o piloto Mário Serafim estaria atrás do David Santos e à frente de Luís Lobo.
Até à data de publicação não foi possível comprovar qual a mensagem que o simulador deu ao piloto Mário Serafim por falta de resposta deste. Dadas as condições excecionais em que tudo aconteceu, decidiu o CAI, após imenso debate, penalizar o piloto Mário Serafim com Drive-Through e 50 kg de lastro na próxima corrida em que participar devido a causar a situação de bandeira vermelha, os toques na T1 e a tentativa de recuperar o seu lugar, para isso navegando por entre todos os pilotos. Serve de atenuante o facto de o piloto não ter o seu lugar nas boxes e não ser possível confirmar as indicações do simulador para o piloto em questão. Decisão do CAI: Drive-Through e 50 kg de lastro na próxima corrida em que participar para o piloto Mário Serafim.


Análise da via das boxe

Não foi detetada qualquer situação passivel de análise.
« Last Edit: October 29, 2019, 17: 48 by Comissão de Análise de Incidentes »

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 432
  • Liked: 20
    • View Profile
Re: GT Series 2019: Comissão de Análise de Incidentes (CAI)
« Reply #6 on: November 05, 2019, 19: 07 »
Relatório do CAI - Prova 6 - GTS Round of China @Zhuhai


Volta 1, entre as curvas 2 e 3 •
Na reta entre a curva 2 e curva 3, seguem muito próximos os pilotos Carlos Barros e Mário Serafim. O piloto Carlos Barros segue ligeiramente mais rápido e vai a ultrapassar o piloto Mário Serafim, mas muda de trajetória e empurra o piloto Mário Serafim para fora da pista, sendo que este perde 3 posições. O CAI considera o piloto Carlos Barros responsável pelo incidente, é a sua mudança de trajetória que origina o contacto e respetivas consequências.
Decisão do CAI: 30kg de lastro na próxima prova em que participar para o piloto Carlos Barros


Volta 1, curva 4 •
Na travagem para a curva 4, o piloto André Vitória trava demasiado tarde e vai embater na traseira do piloto Rui Martins, que perde ligeiramente o controlo do carro. O toque acabou por não ter consequências maiores dado que o piloto Rui Martins conseguiu recuperar o controlo do carro. O CAI considera o piloto André Vitória responsável pelo incidente.
Decisão do CAI: Advertência para o piloto André Vitória


Volta 1, curva 7 •
Na travagem para a curva 7, o piloto Pedro Mourão trava demasiado tarde e vai embater na lateral traseira do piloto Nuno Leite Castro, que perde ligeiramente o controlo do carro. O toque acabou por não ter consequências maiores dado que o piloto Nuno Leite Castro conseguiu recuperar o controlo do carro. O CAI considera o piloto Pedro Mourão responsável pelo incidente.
Decisão do CAI: Advertência para o piloto Pedro Mourão

Quote
Piloto que protesta: Nuno Leite Castro
Equipa: PM4 Racing GT
Piloto protestado: Tiago Lapa
Equipa: Carbor8 Racing I
Momento do replay: Position 1500

Volta 14, curva 4 •
Ao aproximarem-se da curva 4, seguem muito próximos os pilotos Nuno Leite Castro e Tiago Lapa.
O piloto Tiago Lapa tenta ultrapassar o adversário pelo exterior da curva, mas vira demasiado cedo e embate no carro do piloto Nuno Leite Castro, causando a saída de pista a ambos. O piloto Nuno Leite Castro acaba por perder 3 posições. O CAI considera o piloto Tiago Lapa responsável pelo incidente, vira para cima do adversário e causa o toque e respetivas consequências. 
Decisão do CAI: 30 kg de lastro na próxima prova em que participar para o piloto Tiago Lapa

Quote
Piloto que protesta: Ricardo Marcelino
Equipa: Playteam DecoRacing
Piloto protestado: André Vitória
Equipa: PM4 Racing GT
Momento do replay: 5131

Volta 50, curva 12 •
Ao efetuarem a curva 12, seguem muito próximos os pilotos André Vitória e Ricardo Marcelino. O piloto Ricardo Marcelino já segue lado a lado com o piloto André Vitória no momento da travagem e tenta a ultrapassagem pelo interior da curva. O piloto Ricardo Marcelino mantém sempre a linha interior, o piloto André Vitória ao efetuar a curva muda a trajetória para o interior da curva e acaba por embater no piloto Ricardo Marcelino, que acaba bloqueado com o carro do piloto André Vitória atravessado à sua frente. O piloto Ricardo Marcelino perde ainda uma posição. O CAI considera o piloto André Vitória responsável pelo incidente, pois muda a trajetória a meio da curva e causa o contacto e respetivas consequências.
Decisão do CAI: 30 kg de lastro na próxima prova em que participar para o piloto André Vitória

Quote
Piloto que protesta - Sandro Simões
Equipa: Carbor8 Racing II
Piloto protestado - Carlos Santos
Equipa: Codoil Motorsport
Momento do incidente - 5270.365

Volta 52, curva 14 •
Ao efetuarem a curva 14, seguem muito próximos os pilotos Sandro Simões e Carlos Santos. O piloto Sandro Simões sobe ligeiramente o corretor do limite exterior da curva e perde alguma velocidade. O piloto Carlos Santos que segue logo atrás não se desvia a tempo e embate na traseira do piloto Sandro Simões, causando o despiste a este, que embate nas proteções laterais da pista e sofre danos graves. O CAI considera o piloto Carlos Santos responsável pelo incidente, é o seu toque na traseira do adversário que causa o despiste e consequências mencionadas.
Decisão do CAI: Drive-Through na próxima prova em que participar para o piloto Carlos Santos

Análise da via das boxe

O seguinte piloto vai ser punido com uma advertência por não ter respeitado as linhas de entrada/saída da boxe:

Volta 36 (Saída) • André Vitória

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 432
  • Liked: 20
    • View Profile
Re: GT Series 2019: Comissão de Análise de Incidentes (CAI)
« Reply #7 on: November 11, 2019, 23: 56 »
Relatório do CAI - Prova 7 - GTS Round of Australia @Sydney Motorsports Park


Volta 1, curva 2 •
Na travagem para a curva 2, o piloto Nuno Leite Castro trava demasiado tarde e vai embater na lateral traseira do piloto Pedro Lopes, que perde o controlo do carro, sai de pista e perde muitos lugares. Na reentrada em pista, o piloto Pedro Lopes dá um ligeiro toque no piloto Carlos Barros, que acabou por não ter consequências dado que o piloto Carlos Barros conseguiu manter o controlo do carro. O CAI considera o piloto Nuno Leite Castro responsável pelo incidente, não estava lado a lado no momento da travagem para a curva 2 e foi o seu toque que causou a saída de pista ao adversário, bem como as consequências mencionada. O CAI também considera o piloto Pedro Lopes responsável pelo toque no adversário ao reentrar em pista.
Decisão do CAI: Drive-through para o piloto Nuno Leite Castro na próxima prova em que participar
Decisão do CAI: Advertência para o piloto Pedro Lopes

Quote
Piloto que protesta: Ricardo Marcelino
Equipa:Playteam DecoRacing
Piloto protestado: Pedro Lopes
Equipa: Gaming Events
Momento do replay: 860, Volta 8, Curva 2

Volta 8, curva 2 •
Na travagem para a curva 2, o piloto Pedro Lopes trava demasiado tarde e vai embater lateralmente no piloto Ricardo Marcelino, que tinha deixado bastante espaço para o interior da curva. O piloto Ricardo Marcelino perde uma posição. O CAI considera o piloto Pedro Lopes responsável pelo incidente, não estava lado a lado no momento da travagem para a curva 2 e foi a sua travagem tardia que causou o toque no adversário.
Decisão do CAI: 15 kg de lastro na próxima prova em que participar para o piloto Pedro Lopes

Quote
Piloto que protesta: Silvino Rodrigues ( em substituição do piloto Domingos Vaz)
Equipa: Playteam
Piloto protestado: Luís Lobo
Equipa: RedStripe Racing
Momento do replay: (Posição 937, Lap 9 na T1 )

Volta 9, curva 1 •
Ao aproximarem-se da curva 1, seguem muito próximos os pilotos Silvino Rodrigues e Luís Lobo. O piloto Silvino Rodrigues segue pela linha interior, o piloto Luís Lobo segue na linha exterior. Ao efetuar a curva, o piloto Luís Lobo opta por fazer a linha ideal de corrida, movendo-se para a linha interior da curva e tocando no piloto Silvino Rodrigues, que perde o controlo do carro momentaneamente. O piloto Silvino Rodrigues perde 2 posições. O CAI considera o piloto Luís Lobo responsável pelo incidente, faz a curva como se não tivesse nenhum carro ao seu lado e causa o toque e as consequências mencionadas.
Decisão do CAI: 30 kg de lastro na próxima prova em que participar para o piloto Luís Lobo

Quote
Piloto que protesta: Pedro Lopes
Equipa: Gaming Events
Piloto protestado: Luis Lobo
Equipa: Red Stripe
Momento do replay: Position 1217

Volta 12, curva 2 •
Ao aproximarem-se da curva 2, seguem muito próximos os pilotos Luís Lobo e Luis Carreiro. O piloto Luis Carreiro segue pela linha interior, o piloto Luís Lobo segue na linha exterior. Ao efetuar a curva, o piloto Luís Lobo opta por fazer a linha ideal de corrida, movendo-se para a linha interior da curva e tocando no piloto Luis Carreiro, que perde o controlo do carro momentaneamente mas consegue-se manter em pista. O piloto Luís Lobo acaba por sair de pista. Enquanto esteve fora de pista, o piloto Luís Lobo apenas trava ligeiramente e tenta reentrar na pista ainda sem controlo do carro, acelerando ligeiramente e tentando virar no sentido da pista, mas não consegue. O piloto Luís Lobo acaba por entrar na pista completamente atravessado, continuando a mover-se quase no sentido oposto da pista e vai embater no piloto Pedro Lopes. O piloto Pedro Lopes perde 2 posições e fica com danos consideráveis. O CAI considera o piloto Luís Lobo responsável pelo incidente inicial, faz a curva como se não tivesse nenhum carro ao seu lado e causa o toque com o piloto Luis Carreiro, embora este não tenha tido consequências de maior. O CAI considera também o piloto Luís Lobo responsável pelo incidente causado pela sua reentrada em pista.
Decisão do CAI: Drive-Through e 50 kg de lastro na próxima prova em que participar para o piloto Luís Lobo

Quote
Piloto que protesta: Pedro Lopes
Equipa: Gaming Events
Piloto protestado: Carlos Miranda
Equipa: Carbor8
Momento do replay: Position 3027

Volta 32, curva 8 •
Ao aproximarem-se da curva 8, seguem muito próximos os pilotos Carlos Miranda e Pedro Lopes. O piloto Pedro Lopes, que não se encontrava lado a lado no momento da travagem para a curva 8, vai embater na lateral traseira do piloto Carlos Miranda, que apesar do toque consegue manter o controlo do carro. O piloto Pedro Lopes, apesar do toque, continua a acelerar durante a curva numa tentativa de ultrapassar o adversário. O CAI considera que não há motivos para qualquer penalização, o piloto Pedro Lopes não se encontrava lado a lado com o piloto Carlos Miranda na travagem para a curva 8 e apenas acaba por conseguir sair lado a lado com o adversário pois continuou a forçar a tentativa de ultrapassagem durante a curva 8.
Decisão do CAI: Incidente de corrida

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 432
  • Liked: 20
    • View Profile
Re: GT Series 2019: Comissão de Análise de Incidentes (CAI)
« Reply #8 on: November 19, 2019, 21: 42 »
Relatório do CAI - Prova 8 - GTS Round of Brazil @Interlagos


Volta de formação, após curva 3 •
Na saída da curva 3, durante a volta de formação, vários carros são obrigados a travar de forma muito intensa para evitar os carros mais à frente. O piloto Rui Martins acaba por dar um ligeiro toque na traseira do piloto Carlos Miranda. O CAI considera o piloto Rui Martins responsável pelo incidente, sendo que não são tolerados quaisquer toques entre pilotos durante as voltas de formação.
Decisão do CAI: Advertência para o piloto Rui Martins


Volta 1, curva 2 •
Ao efetuarem a curva 2, verificam-se ligeiros toques entre os pilotos Carlos Santos, Nuno Leite Castro e Hugo Araújo. Os referidos toques não causam qualquer problema de maior a nenhum dos pilotos mencionados. O CAI não detetou qualquer manobra ou comportamento passível de ser penalizado.
Decisão do CAI: Incidente de corrida


Volta 1, curva 2 •
Ao efetuar a curva 2, o piloto Daniel Inácio dá um ligeiro toque na traseira do piloto Carlos Rodrigues, que perde ligeiramente o controlo do carro e acaba por perder 6 posições. O CAI considera o piloto Daniel Inácio responsável pelo incidente, dado que é o seu toque na traseira do adversário que causa o incidente e respetivas consequências. A penalização irá ser atenuada pelo facto de o toque ter sido muito ligeiro, sendo que as consequências apenas se tornaram maior devido ao estado da pista, que estava ainda bastante molhada.
Decisão do CAI: 30Kg de lastro para o piloto Daniel Inácio na próxima prova em que participar


Volta 1, curva 4 •
Na travagem para a curva 4, o piloto Rúben Rocha dá um ligeiro toque no piloto Rui Martins, que perde ligeiramente o controlo do carro e vai ainda tocar no piloto Carlos Miranda. O piloto Rúben Rocha consegue a ultrapassagem ao piloto Rui Martins enquanto este está a recuperar o controlo do carro. O CAI considera o piloto Rúben Rocha responsável pelo incidente, é o seu toque na traseira do adversário que causa o incidente e que permite ao piloto ganhar a posição, de forma indevida.
Decisão do CAI: 15 kg de lastro para o piloto Rúben Rocha na próxima prova em que participar


Volta 1, curva 4 •
• Ao efetuarem a curva 4 seguem muito próximos os pilotos Carlos Rodrigues e Rui Martins. O piloto Carlos Rodrigues segue pelo interior da curva, o piloto Rui Martins segue pelo meio da pista. Os pilotos mencionados acabam por se tocar, sendo que o piloto Rui Martins acaba por perder o controlo do carro e atravessa-se na pista, sendo que recebe um embate do piloto Paulo Sousa, que não teve como o evitar. O CAI considera o piloto Rui Martins responsável pelo incidente, dado que na saída da curva fecha a sua trajetória e acaba por causar o toque com o piloto Carlos Rodrigues. Não irá ser aplicada penalização visto que o piloto responsável foi o único prejudicado com a situação. O embate com o piloto Paulo Sousa é considerado incidente de corrida, dado que no momento em que acontece o piloto Rui Martins já não tinha o controlo do carro e piloto Paulo Sousa não tinha forma de evitar o sucedido.
Decisão do CAI: Incidente de corrida


Volta 1, curva 10 •
• Na travagem para a curva 10, o piloto o piloto Pedro Mourão embate na traseira do piloto Mário Serafim, causando o despiste a este bem como danos e perda de muitas posições. O CAI considera o piloto Pedro Mourão responsável pelo incidente, é o seu toque na traseira do adversário que causa o incidente respetivas consequências.
Decisão do CAI: Drive-Through para o piloto Pedro Mourão na proxima prova em que participar

Análise da via das boxe

Os seguinte pilotos vão ser punidos com uma advertência por não ter respeitado as linhas de entrada/saída da boxe:

Volta 1 (Entrada) • Mário Serafim
Volta 3 (Entrada) • Paulo Sousa
Volta 35 (Entrada) • Carlos Miranda
Volta 35 (Entrada) • Pedro Mourão
Volta 35 (Entrada) • Sandro Simões
Volta 36 (Entrada) • Sandro Simões
Volta 39 (Entrada) • Luís Lobo
Volta 41 (Entrada) • André Vitória




Penalizações de acumulação

Os pilotos Mário Serafim, André Vitória, Paulo Sousa e Sandro Simões vão ser punidos com um Drive-Through na próxima prova em que participarem por terem acumulado três advertências ao longo do campeonato.

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 432
  • Liked: 20
    • View Profile
Re: GT Series 2019: Comissão de Análise de Incidentes (CAI)
« Reply #9 on: November 26, 2019, 22: 09 »
Relatório do CAI - Prova 9 - GTS Round of the USA. @Road Atlanta

Quote
Piloto que protesta: Nuno Leite Castro
Equipa: PM4
Piloto protestado: Pedro Lopes
Equipa: Gaming
Momento do replay: Qualificação Position 304,97

Qualificação •
O piloto Pedro Lopes, numa volta de saída das boxes, não se desviou a tempo e acabou por prejudicar uma volta lançada do piloto Nuno Leite Castro.
Decisão do CAI: Advertência para o piloto Pedro Lopes


Volta de formação, curva 11 •
Ao efetuar a volta de formação, o piloto Luís Lobo desvia-se um pouco para o meio da pista e dá um ligeiro toque no piloto Domingos Vaz. O CAI considera o piloto Luís Lobo responsável pelo incidente, sendo que não são tolerados quaisquer toques entre pilotos durante as voltas de formação.
Decisão do CAI: Advertência para o piloto Luís Lobo

Não foi detetado qualquer incidente passível de análise durante a primeira volta.


Quote
Piloto que protesta: Sandro Simões
Equipa: Carbor8 Racing 2
Piloto protestado: Mário Serafim
Equipa: PM4
Momento do replay: Posição 356, volta nº2, curva 7

Volta 2, curva 7 •
Ao abordar a curva 7, o piloto Mário Serafim trava demasiado tarde e acaba por tocar no piloto Sandro Simões, sendo que este perde ligeiramente o controlo do carro. O piloto Mário Serafim acaba por conseguir ultrapassar o piloto Sandro Simões enquanto este estava a recuperar o controlo do carro. O CAI considera o piloto Mário Serafim responsável pelo incidente, é o seu toque no adversário que o destabiliza e que permite a ultrapassagem.
Decisão do CAI: 15 kg de lastro para o piloto Mário Serafim na próxima prova em que participar


Quote
Piloto que protesta: Tiago Lapa
Equipa: Carbor8 Racing
Piloto protestado: Nuno Leite Castro
Equipa: PM4 Racing GT
Momento do replay: 377

Volta 2, entre curva 8 e curva 10A  •
Após a saída da curva 8 seguem muito próximos os pilotos Nuno Leite Castro e Tiago Lapa, ambos no lado esquerdo da pista. O piloto Tiago Lapa seguia no cone aerodinâmico do piloto Nuno Leite Castro e tenta ultrapassar o adversário, primeiro desvia-se para o lado direito, sendo que o piloto Nuno Leite Castro defende mudando a sua trajetória mais para o interior da pista. O piloto Tiago Lapa tenta então ultrapassar pelo lado esquerdo, onde já havia espaço disponível, mas o piloto Nuno Leite Castro muda novamente de direção e acaba por não deixar espaço para o adversário dentro dos limites da pista e obrigou o piloto Tiago Lapa a sair de pista. O CAI considera o piloto Nuno Leite Castro responsável pelo incidente, mudou de direção mais do que uma vez em defesa de posição e não deixou espaço em pista para o adversário.
Decisão do CAI: 30 kg de lastro para o piloto Nuno Leite Castro na próxima prova em que participar


Quote
Piloto que protesta: Tiago Monteiro
Equipa: PM4 Racing
Piloto protestado: Hugo Araújo/Fernando Silva
Equipa: GE/Playteam
Momento do replay: volta 37 a partir do tempo 0:15
Quote
Piloto que protesta: Hugo Araújo
Equipa: GE
Piloto protestado: Tiago Monteiro
Equipa: PM4
Momento: 3170

Volta 37, curva 7 •
Ao abordar a curva 7, o piloto Tiago Monteiro tenta ultrapassar o piloto Hugo Araújo, quando este estava a efetuar a curva 7 lado a lado com o piloto Fernando Silva, que estava na altura a ser dobrado. O piloto Tiago Monteiro trava demasiado tarde e tenta colocar-se no meio dos carros dos adversários mencionados, sendo que acaba por embater no piloto Hugo Araújo. Como consequência, os pilotos Hugo Araújo e Tiago Monteiro ficam ambos atravessados no meio da pista e perdem ambos várias posições, sendo que o piloto Tiago Monteiro acaba por ultrapassar o adversário ao retomar o andamento mais rápido que o piloto Hugo Araújo. O CAI considera o piloto Tiago Monteiro responsável pelo incidente, não estava lado a lado com o piloto Hugo Araújo ou Fernando Silva no momento da travagem e tenta colocar-se no meio dos adversários mencionados, onde não havia espaço suficiente, causando o incidente e consequências mencionadas. Não foi detetado qualquer comportamento incorreto do piloto Fernando Silva, que estava a ser dobrado. O piloto Fernando Silva abrandou e saiu da linha ideal de corrida, tentando dar o máximo de espaço para que pudesse ser dobrado sem causar problemas aos adversários.
Decisão do CAI: Drive-Through para o piloto Tiago Monteiro na próxima prova em que participar


Análise da via das boxe

Não foi detetada qualquer violação na entrada/saída das boxes.

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 432
  • Liked: 20
    • View Profile
Re: GT Series 2019: Comissão de Análise de Incidentes (CAI)
« Reply #10 on: December 02, 2019, 22: 31 »
Relatório do CAI - Prova 10 - GTS Round of Bahrain @Sakhir


Incidente da bandeira vermelha: Volta de formação, curva 14 •
Verificou-se um efeito acordeão quando os carros que seguiam atrás do piloto Domingos Vaz, que resultou em vários toques entre vários pilotos. Apesar do sucedido, o CAI não encontrou nenhuma manobra de algum piloto que possa ser entendida como causadora da situação.
Decisão do CAI: Incidente de corrida


Volta 1, curva 6 •
Na abordagem à curva 6, seguem muito próximos os pilotos Ricardo Marcelino e Nuno Leite Castro. Acaba por ocorrer um ligeiro toque entre ambos os pilotos, sendo que o piloto Nuno Leite Castro acaba por sair de pista e perde 2 posições. O CAI verificou que o piloto Nuno Leite Castro ainda estava a seguir em frente e com os travões a 100% quando os adversários próximos já se encontravam a fazer a curva. O toque acontece quando o piloto Nuno Leite Castro passa à frente do piloto Ricardo Marcelino, ainda a seguir em frente e com os travões a 100%. Não se detetou qualquer manobra incorreta do piloto Ricardo Marcelino que estava a fazer a curva normalmente.
Decisão do CAI: Incidente de corrida


Volta 1, curva 14 •
Na travagem para a curva 14, o piloto Davide Cardoso trava demasiado tarde e acaba por embater na traseira do piloto Nelson Lira. Logo a seguir, acontece um segundo toque do piloto Davide Cardoso na traseira do piloto Nelson Lira, que perde ligeiramente o controlo do carro e sai ligeiramente de pista e perde aceleração para a reta da meta. O piloto Davide Cardoso continuou a acelerar durante a curva 15 e acaba por ultrapassar o piloto Nelson Lira na reta da meta. O CAI considera que os toques mencionados permitiram ao piloto Davide Cardoso uma vantagem que permitiu a ultrapassagem ao adversário.
Decisão do CAI: Dedução de 15 pontos no campeonato. Dado que o piloto em causa estava em substituição, não há equipa (dupla) para ser penalizada e não há mais provas a disputar, a penalização será apenas contabilizada na ficha de fair play do piloto Davide Cardoso


Análise da via das boxe

Não foi detetada qualquer violação na entrada/saída das boxes.