Author Topic: GT3 Sprint Series: Protestos / CAI  (Read 2124 times)

0 Members and 1 Guest are viewing this topic.

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 328
  • Liked: 17
    • View Profile
GT3 Sprint Series: Protestos / CAI
« on: October 27, 2015, 09: 51 »
Neste tópico serão colocadas as decisões do CAI referentes aos protestos enviados pelos pilotos e pelas equipas participantes no campeonato, bem como será colocada a análise do CAI da 1ª volta de todas as corridas.

Lembramos os pilotos que toda a informação relativa ao CAI e às penalizações se encontram nos pontos G e H das Regras Gerais dos Campeonatos de Sim-Racing da PTSims (clicar para aceder ao documento).

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 328
  • Liked: 17
    • View Profile
Re: GT3 Sprint Series: Protestos / CAI
« Reply #1 on: November 08, 2015, 22: 12 »
CAI Report - Prova 1 - Spa-Francorchamps

O CAI informa que recebeu um (1) protesto referente a esta prova, no entanto, pelo facto de o mesmo se referir a um incidente ocorrido na volta 1, será analisado como parte do processo normal de análise desta volta.



Protestos da Organização - volta 1

Análise do CAI - situação 1: o piloto José Lima, na abordagem à curva 1, embate na lateral do piloto Vítor Costa, que se encontrava à sua frente, fazendo com que este perdesse duas posições fruto do toque. O piloto José Lima é considerado responsável pelo acidente.

Decisão do CAI: perda de 5 pontos



Análise do CAI - situação 2: o piloto Pedro Ferreira, na saída da curva 1, embate na lateral do piloto Tiago Fortuna, que se encontrava à sua frente, fazendo com que este perdesse várias posições fruto do toque. O piloto Pedro Ferreira é considerado responsável pelo acidente.

Decisão do CAI: perda de 5 pontos



Análise do CAI - situação 3: na descida que antecede a curva 2, os pilotos Ricardo Silva e João Brito circulam muito próximos um do outro, sendo que ambos tomam direções confluentes. Resulta desta situação um toque entre ambos os pilotos e posterior despiste dos dois. Considera o CAI que nenhum dos envolvidos têm culpa no acidente, pelo que o mesmo é considerado como um incidente de corrida.

Decisão do CAI: incidente de corrida



Análise do CAI - situação 4: na saída da curva 10, o piloto João Nunes abranda significativamente em zona de aceleração, sendo tocado na retaguarda pelo piloto Alexandre Martins, o que causou uma ida à relva e perda de posições. No entanto, considera o CAI que se trata de um incidente de corrida, pelo facto de ter havido um abrandamento súbito numa zona de aceleração, não tendo o piloto Alexandre Martins forma de evitar o toque.

Decisão do CAI: incidente de corrida



Análise do CAI - situação 5: durante a curva 10, o piloto Joel Pereira embate na lateral do piloto Nuno Macedo, que já se encontrava a realizar a curva, causando-lhe algum descontrolo do carro mas nenhuma perda de posição. Adverte o CAI o piloto Joel Pereira para que de futuro tenha mais cuidado na abordagem às curvas para não originar este tipo de toques.

Decisão do CAI: advertência



Análise do CAI - situação 6: na travagem para a curva 13, o piloto Joel Pereira embate na retaguarda do piloto João Nunes, fazendo-o sair largo e ganhando assim a posição. O piloto Joel Pereira é considerado responsável pelo acidente.

Decisão do CAI: perda de 5 pontos

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 328
  • Liked: 17
    • View Profile
Re: GT3 Sprint Series: Protestos / CAI
« Reply #2 on: November 14, 2015, 14: 31 »
CAI Report - Prova 2 - Mugello

Piloto que protesta: José Vasconcelos
Equipa: TMM
==============================
Piloto protestado: Joel Pereira
Equipa: ---
-------------------------------------------------------
Momento do replay: minuto 15:46, curva 2

Análise do CAI: na abordagem à curva mencionada, o piloto José Vasconcelos tenta a ultrapassagem pelo lado esquerdo (vulgo "por dentro") ao piloto Joel Pereira, que se encontrava à sua direita (vulgo "por fora"). O piloto José Vasconcelos, para poder ter direito à trajetória, teria de ter consumado a ultrapassagem antes do momento de entrada em curva, tal como indicado pela alínea 9 do Ponto F, II. OBRIGAÇÕES ("Para uma ultrapassagem ser considerada válida, quem ultrapassa tem de estar com o eixo dianteiro com cerca de meio carro de avanço sobre o eixo dianteiro do carro que está a ultrapassar antes do momento de entrada em curva"). Não se verifica, no momento de entrada em curva, esta situação, estando ainda o carro do piloto José Vasconcelos ao lado mas ligeiramente atrás do carro do piloto Joel Pereira. Desta forma, e tendo em conta que ambos os pilotos tomam direções confluentes, origina-se um toque lateral, com claro prejuízo para o piloto José Vasoncelos. Entende o CAI que o piloto Joel Pereira não é culpado pelo toque, uma vez que tinha direito à trajetória. Por outro lado, o piloto José Vasconcelos é advertido para que, no futuro, não tente uma ultrapassagem pelo interior da curva quando ainda não tem direito a utilizar essa trajetória, potencialmente provocando um acidente.

Decisão do CAI: advertência



Protestos da Organização - volta 1

Análise do CAI - situação 1: o piloto Jorge Augusto, na abordagem à curva 1, embate na retaguarda do piloto Carlos Santos, fazendo com que o piloto tocado perca algum controlo do carro, sem no entanto perder qualquer posição. O piloto Jorge Augusto é advertido para, de futuro, ter mais cuidado na abordagem à curva 1, de forma a evitar travagens que resultem em toque.

Decisão do CAI: advertência



Análise do CAI - situação 2: os pilotos Joel Pereira, Ricardo Silva e André Bonaparte, durante a curva 1, tomam direções confluentes que resultam em toque lateral entre os 3 pilotos. Considera o CAI que, dadas as circunstâncias, se trata de um incidente de corrida.

Decisão do CAI: incidente de corrida



Análise do CAI - situação 3: o piloto Nuno Rodrigues, na saída da curva 5, coloca-se lado a lado com o piloto Pedro Silva e embate na lateral deste, fazendo com que o piloto tocado vá à gravilha e perca a posição. O piloto Nuno Rodrigues é considerado responsável pelo acidente.

Decisão do CAI: perda de 5 pontos

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 328
  • Liked: 17
    • View Profile
Re: GT3 Sprint Series: Protestos / CAI
« Reply #3 on: November 15, 2015, 18: 27 »
CAI Report - Prova 3 - Suzuka

O CAI informa que não recebeu qualquer protesto referente a esta prova.



Protestos da Organização - volta 1

O CAI informa que não verificou na volta 1 qualquer incidente digno de análise.

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 328
  • Liked: 17
    • View Profile
Re: GT3 Sprint Series: Protestos / CAI
« Reply #4 on: November 24, 2015, 10: 48 »
CAI Report - Prova 4 - Eastern Creek

O CAI informa que não recebeu qualquer protesto referente a esta prova.



Protestos da Organização - volta 1

Análise do CAI - situação 1: durante a curva 2, o piloto Nuno Macedo dá um toque na retaguarda do piloto João Nunes, causando o despiste deste e perda de posições. Pelo facto de os pilotos mencionados pertencerem à mesma equipa, entende o CAI que não há lugar a qualquer penalização, sendo portanto considerado como um incidente de corrida.

Decisão do CAI: incidente de corrida



Informa também o CAI de que os comportamentos registados após este incidente, com vários carros a regressarem à pista sem os cuidados necessários, causando assim mais acidentes, não serão alvo de penalização, dado ser do conhecimento do CAI de que a Direção de Prova dialogou com os pilotos no sentido de alertar para esta situação. No entanto, tais comportamentos não serão admissíveis no futuro e as penalizações serão atribuídas, sem exceções e sem atenuantes.

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 328
  • Liked: 17
    • View Profile
Re: GT3 Sprint Series: Protestos / CAI
« Reply #5 on: November 27, 2015, 10: 30 »
CAI Report - Prova 5 - Circuit of the Americas

O CAI informa que recebeu três (3) protestos referentes a esta prova, no entanto, pelo facto de dois (2) deles se referirem a incidentes ocorridos na volta 1, serão analisados como parte do processo normal de análise desta volta.



Piloto que protesta: Filipe Torres
Equipa: ---
==============================
Piloto protestado: Diogo Capitão
Equipa: Morabia Rebellion
-------------------------------------------------------
Momento do replay: volta 4, minuto 11:37, última curva

Análise do CAI: na abordagem à curva 20, o piloto Diogo Capitão segue pela parte de fora da pista a grande velocidade, aparentemente numa tentativa de entrar na pit lane. No entanto, essa entrada na pit lane não se verifica, tendo o piloto Diogo Capitão cortado a referida curva a eito e reentrado em pista a cerca de 150 km/h quando já lá circulava o piloto Filipe Torres, não embatendo neste por muito pouco. Pelo facto de não ter havido nenhum toque, considera o CAI não haver motivo de penalização. No entanto, o CAI alerta o piloto Diogo Capitão que manobras deste género, sejam por descuido, sejam por iniciativa própria, enquadram-se na categoria de manobras anti-desportivas e são severamente sancionadas.

Decisão do CAI: advertência



Protestos da Organização - volta 1

Análise do CAI - situação 1: na abordagem à curva 1, o piloto Rúben Almeida trava de forma descontrolada e embate no piloto Tiago Fortuna, causando o despiste deste, para logo de seguida embater no piloto Joel Pereira, causando também o despiste deste. O piloto Rúben Almeida é considerado responsável por ambos os incidentes, sendo a penalização agravada pelo facto de se tratar da curva 1, onde repetidamente é pedido mais cuidado aos pilotos.

Decisão do CAI: perda de 10 pontos e impedimento de realizar qualificação na próxima corrida em que venha a participar



Análise do CAI - situação 2: na abordagem à curva 1, o piloto Carlos Santos utiliza uma trajetória "por dentro" quando tinha à sua frente o piloto Baltazar Lima, o que resulta num toque lateral e posterior despiste de ambos. Num momento posterior, o piloto Carlos Santos retoma à pista sem os devidos cuidados, embatendo no piloto Filipe Torres e causando o despiste deste. O piloto Carlos Santos é considerado responsável por ambos os incidentes, sendo a penalização agravada pelo facto de se tratar da curva 1, onde repetidamente é pedido mais cuidado aos pilotos.

Decisão do CAI: perda de 10 pontos e impedimento de realizar qualificação na próxima corrida em que venha a participar



Análise do CAI - situação 3: na abordagem à curva 1, o piloto Nuno Rodrigues utiliza uma trajetória "por dentro" quando tinha à sua frente o piloto José Lima, o que resulta num toque lateral e posterior despiste na saída da curva. O piloto Nuno Rodrigues é considerado responsável pelo acidente, sendo a penalização agravada pelo facto de se tratar da curva 1, onde repetidamente é pedido mais cuidado aos pilotos.

Decisão do CAI: perda de 5 pontos e impedimento de realizar qualificação na próxima corrida em que venha a participar



Análise do CAI - situação 4: na abordagem à curva 12, o piloto Diogo Capitão falha o ponto de travagem e embate na lateral traseira do piloto Mário Peixoto, que já se encontrava a realizar a curva, causando o despiste deste e perdas de posição. O piloto Diogo Capitão é considerado responsável pelo acidente.

Decisão do CAI: perda de 5 pontos



Análise do CAI - situação 5: na saída da curva 20, o piloto Filipe Torres embate na lateral do piloto Mário Peixoto, que já se encontrava a realizar a curva, causando o despiste deste e perdas de posição. O piloto Filipe Torres é considerado responsável pelo acidente.

Decisão do CAI: perda de 5 pontos

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 328
  • Liked: 17
    • View Profile
Re: GT3 Sprint Series: Protestos / CAI
« Reply #6 on: December 04, 2015, 21: 58 »
CAI Report - Prova 6 - Circuit Gilles Villeneuve

O CAI informa que não recebeu qualquer protesto referente a esta prova.



Protestos da Organização - volta 1

Análise do CAI - situação 1: na travagem para a curva 1, o piloto André Bonaparte não trava atempadamente e embate na retaguarda do piloto Tiago Fortuna, causando o despiste deste e, por conseguinte, um acidente entre mais carros. O piloto André Bonaparte é considerado responsável pelo acidente, sendo a penalização agravada pelo facto de se tratar da curva 1, onde repetidamente é pedido mais cuidado aos pilotos.

Decisão do CAI: perda de 10 pontos e impedimento de realizar qualificação na próxima corrida em que venha a participar



Análise do CAI - situação 2: na reta que antecede a curva 3, o piloto Alexandre Martins, que circulava à direita, aproxima o seu carro do piloto Joel Pereira, que circulava à esquerda, acabando por não lhe deixar espaço suficiente em pista, originando assim um toque, ida à relva e ao muro do piloto Joel Pereira, e posterior perda de posição. O piloto Alexandre Martins é considerado responsável pela situação, dado que "Um piloto que ultrapasse outro é sempre obrigado a dar espaço suficiente ao outro para que este se mantenha em pista", algo que, na situação visualizada, não aconteceu.

Decisão do CAI: perda de 5 pontos
« Last Edit: December 04, 2015, 22: 04 by PTSims Racing »

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 328
  • Liked: 17
    • View Profile
Re: GT3 Sprint Series: Protestos / CAI
« Reply #7 on: December 13, 2015, 22: 51 »
CAI Report - Prova 7 - Autódromo do Estoril 1990

Piloto que protesta: André Bonaparte
Equipa: MCZ Virtual Racing Team
==============================
Piloto protestado: Pedro Silva
Equipa: Sonic Racing Team Old School
-------------------------------------------------------
Momento do replay: 9 minutos e 20 segundos de prova, início da 4ª volta, na T1.

Análise do CAI: na travagem para a curva 1, o piloto Pedro Silva embate na retaguarda do piloto André Bonaparte, causando o despiste deste e perda de posições. O piloto Pedro Silva é considerado responsável pelo acidente.

Decisão do CAI: perda de 5 pontos



Protestos da Organização - volta 1

O CAI informa que não verificou na volta 1 qualquer incidente digno de análise.

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 328
  • Liked: 17
    • View Profile
Re: GT3 Sprint Series: Protestos / CAI
« Reply #8 on: December 24, 2015, 19: 21 »
CAI Report - Prova 8 - Silverstone Circuit

Piloto que protesta: João Brito
Equipa: SonicStudios Gaming Events SRT
==============================
Piloto protestado: João Castelos
Equipa: TMM
-------------------------------------------------------
Momento do replay: Volta 22 e 23, mais precisamente desde a saída da T4 até meio da Wellington Straight da volta 22 e depois na abordagem à T3 da volta 23

Análise do CAI: o piloto protestado dificultou durante o período exposto a sua dobragem ao líder da prova, quando teve várias ocasiões para o fazer, acabando por o fazer bastante tarde e muito mais tarde do que era suposto em condições normais de quem tem bandeira azul. Para além disso, e depois de ser dobrado, pressionou de forma evidente o piloto que o tinha dobrado sem motivo aparente, acabando por provocar um toque no mesmo numa travagem, com prejuízo para este que acabou por sair de pista e perder tempo, para além de acumular danos. O piloto protestado desrespeitou de forma evidente o conteúdo do Ponto F, III, nº 12 e demonstrou neste incidente analisado o desconhecimento das regras comuns aceites sobre as bandeiras existentes também no simulador, nomeadamente a bandeira azul. Recomenda o CAI ao piloto protestado a leitura do Ponto I das regras onde em III é descrito o comportamento a adoptar perante uma bandeira azul. Considera ainda importante o CAI esclarecer de forma genérica que não é seu entendimento que os pilotos alvo de dobragem não possam desdobrar-se, sendo no entanto aconselhados a fazê-lo com todas as precauções para que não provoquem prejuízo, o que não aconteceu no caso exposto.

Decisão do CAI: desqualificação da corrida e advertência sobre o comportamento a adoptar numa próxima corrida que deverá respeitar as regras existentes



Protestos da Organização - volta 1

Análise do CAI - situação 1: na travagem para a curva 1, o piloto Vítor Costa embate na retaguarda do piloto Ed Penco, causando o despiste deste e consequente perda de posição. O piloto Vítor Costa é considerado responsável pelo acidente, sendo a penalização agravada pelo facto de se tratar da curva 1, onde repetidamente é pedido mais cuidado aos pilotos.

Decisão do CAI: perda de 5 pontos e impedimento de realizar qualificação na próxima corrida em que venha a participar



Análise do CAI - situação 2: na reta que antecede a curva 9, o piloto Rúben Almeida coloca o seu carro em rota de colisão com o carro do piloto José Lima, tendo este tentado evitar o contacto indo praticamente até ao limite da pista. Acaba por se dar um embate lateral entre ambos, com claro prejuízo para o piloto José Lima, que se despista. O piloto Rúben Almeida é considerado responsável pelo acidente, uma vez que provocou o toque.

Decisão do CAI: perda de 5 pontos



Análise do CAI - situação 3: durante a curva 9, o piloto André Bonaparte embate na retaguarda do piloto Ricardo Martins, causando o despiste deste e consequente perda de posição. O piloto André Bonaparte é considerado responsável pelo acidente.

Decisão do CAI: perda de 5 pontos



Análise do CAI - situação 4: na saída da última curva do circuito, o piloto Filipe Torres perde o controlo do carro e despista-se, atravessando a pista e embatendo no piloto João Castelos. Entende o CAI que, dadas as circunstâncias, se trata de um incidente de corrida.

Decisão do CAI: incidente de corrida
« Last Edit: December 24, 2015, 19: 25 by PTSims Racing »

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 328
  • Liked: 17
    • View Profile
Re: GT3 Sprint Series: Protestos / CAI
« Reply #9 on: December 24, 2015, 23: 22 »
CAI Report - Prova 9 - Monza

O CAI informa que não recebeu qualquer protesto referente a esta prova.



Protestos da Organização - volta 1

Análise do CAI - situação 1: na travagem para a curva 1, o piloto Alexandre Martins, de forma a se desviar do carro da frente e evitando assim um acidente, seguiu pela escapatória, apenas retornando ao traçado, de forma segura, mais à frente. Considera o CAI que se trata de uma manobra legal, uma vez que o piloto aguardou pelos restantes e retomou a posição em que circulava anteriormente, não ganhando assim qualquer vantagem e evitando um acidente.



Análise do CAI - situação 2: na travagem para a curva 1, o piloto Joel Pereira embate na retaguarda do piloto Carlos Delgado, causando-lhe danos. Embora não tenha o acidente tido consequências mais graves, a penalização é ainda assim atribuída uma vez que, no decorrer do campeonato, o piloto Joel Pereira já esteve envolvido numa situação similar, servindo esta de agravante.

Decisão do CAI: perda de 5 pontos



Análise do CAI - situação 3: durante a curva 1, o piloto Carlos Delgado embate na retaguarda do piloto Carlos Santos, provocando o despiste deste e consequente perda de posições. O piloto Carlos Delgado é considerado responsável pelo acidente.

Decisão do CAI: perda de 5 pontos

Offline Comissão de Análise de Incidentes

  • Administrador
  • Membro
  • *****
  • Posts: 328
  • Liked: 17
    • View Profile
Re: GT3 Sprint Series: Protestos / CAI
« Reply #10 on: December 31, 2015, 00: 51 »
CAI Report - Prova 10 - Nordschleife

O CAI informa que não recebeu qualquer protesto referente a esta prova.



Protestos da Organização - volta 1

Análise do CAI - situação 1: na abordagem à curva 1, o piloto Ricardo Martins utiliza uma trajetória "por dentro" quando tinha à sua frente o piloto Nuno Rodrigues, o que resulta num toque lateral e posterior perda de posição para o piloto tocado. O piloto Ricardo Martins é considerado responsável pelo acidente, sendo a penalização agravada pelo facto de se tratar da curva 1, onde repetidamente é pedido mais cuidado aos pilotos.

Decisão do CAI: perda de 10 pontos



Análise do CAI - situação 2: na abordagem à curva Aremberg, o piloto Nuno Rodrigues perde o controlo do carro, seguindo por fora da pista em despiste e embatendo mais à frente no piloto João Nunes, que se encontrava a fazer a curva. Entende o CAI que, dadas as circunstâncias, se trata de um incidente de corrida.

Decisão do CAI: incidente de corrida